DAS RELIGIÕES QUE TOMARAM UM SENTIDO OPOSTO AO DE SUA ORIGEM

 

*José Reis Chaves

 

       Atribui-se a santo Agostinho a criação da palavra religião, que se origina do verbo latino "religare" (religar), cujo sentido é de ligar de novo a Deus o homem que Dele se afastou pelo pecado. A religião é, pois, um meio de nós irmos aperfeiçoando-nos espiritualmente até que, um dia, possamos chegar a Deus e nos tornarmos de fato semelhantes a Ele.

 

      Mas as religiões têm perdido esse significado, as quais mais significam divisão. É que entrou na questão religiosa o nosso maior inimigo, ou seja, o ego, que está presente em tudo na nossa vida. Não foi, pois, à toa que o Nazareno nos diz que quem quiser ser seu discípulo, tem que renunciar-se a si mesmo. (Lucas 9:23).

 

    A religião tem muito a ver com a verdade de cada um. E o que é uma verdade para um, nem sempre o é para outro. Por isso, digo que, para se encontrar a verdade religiosa mais próxima da verdade, nós temos que estudar todas as religiões, pelo menos as mais importantes.Acontece que o nosso ego, que é o nosso maior diabo ("diabolos" no grego bíblico e que significa adversário em português), dificulta a nossa chegada à verdade, pois ficamos totalmente fechados para as idéias inovadoras, que nos levam à verdade libertadora. A ignorância é normal, mas é pecado querermos ficar nela! Mas o que de pior não faria o nosso ego?

 

      E é exatamente por causa desse nosso terrível ego, que a religião, cada vez mais, vem adquirindo um significado totalmente diferente do seu original, cujo fundamento é destaque no Decálogo, ou seja, amor a Deus sobre todas as coisas e ao nosso próximo como a nós mesmos. No nível atual de evolução da humanidade, é frequente que quanto mais nós formos religiosos, isto é, mais fiéis aos postulados de nossa religião, mais ela, infelizmente, passa a ser para nós um meio de separação e desamor, quando não de ódio, entre as pessoas. É que, infelizmente, quando o indivíduo é muito religioso, na verdade, ele tem geralmente seu ego muito aflorado, o que o afasta dos princípios básicos de todas as religiões. De fato, quanto mais beatas são as pessoas, salvo raras exceções, mais são apegadas ao seu ego, mais são orgulhosas, fanáticas e discriminadoras das pessoas que são de outra religião, ou não são tão religiosas como elas são, não sendo poupadas nem as pessoas da sua própria família.

 

        E os líderes religiosos cristãos falham por, geralmente, não ensinarem os seus fiéis a dominarem seu ego. Eles se preocupam é em ficar exigindo deles apego às exterioridades da religião, como rituais, dízimos e a doutrinas polêmicas, que em nada ajudam o fiel a ser um melhor cristão. E, consequentemente, ele se torna um falso cristão, pois se transforma num fanático religioso e, consequentemente, como vimos, num discriminador das pessoas de outras crenças. Conheço pessoas que brigam até com padres por eles não serem tão católicos quanto elas o são. Ouso dizer, pois, que alguns indivíduos mais cristãos poderiam ser, se eles não tivessem religião, que, às vezes, se torna como que uma droga na vida das pessoas, criando conflitos e até guerras entre elas.

 

         E seria cômico, se não fosse tão trágico, que essas pessoas pensam que estão agindo em nome de Jesus e de Deus!

 

        Obs.: Esta coluna, de José Reis Chaves, às segundas-feiras, no diário de Belo Horizonte, O TEMPO, pode ser lida também no site www.otempo.com.br . Clicar "TODAS AS COLUNAS". Podem ser feitos comentários abaixo da coluna. Ela está liberada para publicações.

Ficarei grato pela citação nelas de meus livros: "A Face Oculta das Religiões", "O Espiritismo Segundo a Bíblia", Editora e Distribuidora de Livros Espíritas Chico Xavier, Santa Luzia (MG), "A Reencarnação na Bíblia e na Ciência" Ed. EBM (SP) e "A Bíblia e o Espiritismo", Ed. Espaço Literarium, Belo Horizonte (MG)   www.literarium.com.br -  e meu e-mail: jreischaves@gmail.com Os livros de José Reis Chaves podem ser adquiridos também pelo e-mail: contato@editorachicoxavier.com.br e o telefone: 0800-283-7147.

 

      Outros colunistas de O TEMPO: Miriam Leitão, Vittorio Medioli, Arnaldo Jabor, Dora Kramer, Laura Medioli, João Batista Libânio (teólogo Jesuíta), Elio Gaspari, Xico Sá, Luiz Carlos Bernardes, Torquato (USP), Luiz Aureliano, Gilda de Castro, Manoel Lobato, Murilo Badaró (Presidente da Academia Mineira de Letras), Robson Damasceno Reis, Cônego José Geraldo Vidigal de Carvalho, Teodomiro Braga, Ana Elizabeth Diniz, Trigueirinho, Leonardo Boff, José Dirceu (ex-ministro do Lula), Tostão e outros.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário