BAlelA - ARte e cULTurA Lenda de Abigail Margarida do Abranches

Lenda de Abigail Margarida do Abranches 

Nos anos 50, no bairro Abranches localizado na cidade de Curitiba, havia um chalé estilo europeu com dois andares, onde morava um casal: Abigail e Marcos. A mulher era uma excelente professora da área de exatas e o homem trabalhava num famoso banco.
O passatempo de Abigail era plantar margaridas no seu jardim e na sacada da casa. De tanto cultivar este tipo de flor, seu apelido passou a ser Margarida tanto no bairro quanto nos lugares onde lecionava.
Um certo dia, o matrimônio deste casal passou a esfriar. Então, Abigail começou a ter um caso com um aluno da faculdade onde dava aulas.
Certa vez seu marido precisou viajar para outra cidade a trabalho. Assim, naquela noite, a professora chamou o seu amante para visitar sua residência. Mas, Marcos esqueceu os documentos no criado-mudo do quarto. Desta maneira, como ainda tinha tempo, o homem pegou um táxi do aeroporto ao bairro do Abranches.
Porém, quando abriu a porta do recinto deu de cara com a esposa e o "Ricardão". Naquele mesmo instante, Marcos pegou um revólver de sua gaveta, deu tiros na mulher e saiu correndo.
Seu amante, gritou desesperado, segurando em sua mão:
- Não morra!
Abigail, ofegante, explicou:
- Eu sei que partirei.
- Mas, por favor, atenda ao meu pedido:
- Plante margaridas no meu jardim e na sacada. Pois, se isto não acontecer, o meu espírito permanecerá triste e preso neste chalé.
Após estas palavras, a professora morreu.
Logo, seu ficante mudou-se de cidade e o assassino nunca mais foi isto. Desta maneira, aquela residência ficou abandonada. 
O problema é que o chalé ficava próximo a um colégio chamado Instituto São José Abranches e do alto da escadaria desta escola dava para ver aquela casa.
Algumas estudantes, Laura e Creusa, que caminhavam pelo bairro para ir aquele instituto, ás vezes avistavam uma mulher triste da sacada do chalé que desaparecia misteriosamente logo depois. Uma delas perguntou à freira Naná, que também era professora:
- A senhora conhece a mulher que mora no chalé ?
A irmã respondeu:
- Não vive mais ninguém naquela casa.
- Mas, reza lenda, que morava lá uma professora chamada Abigail, cujo o apelido era Margarida, porque ela amava cultivar este tipo de flor em todos os lugares: no jardim, na sacada, etc.
- O problema é que ela foi assassinada pelo marido.
- Dizem que para que sua alma deixe de assustar as pessoas é necessário que plantem margaridas no seu jardim.
Após saberem desta história, Laura e Creusa reuniram outras meninas para plantarem margaridas e rezarem para a alma de Abigail Margarida.
Num lindo dia de Sol, as garotas entraram no chalé, plantaram flores e oraram.
Depois daquele dia, nunca mais elas viram a imagem de uma mulher na sacada. Então aquela casa passou a ser chamada de: O Chalé das Margaridas.
Porém, nos anos 70, este mesmo Chalé das Margaridas foi vendido para uma instituição educacional, que inaugurou uma escola e uma faculdade lá, algum tempo depois.
Nesta escola estudava Tília, uma garota ateia que debochava da fé dos outros. 
Uma vez, esta menina estava com suas colegas dentro do toalhete. Então, uma amiga perguntou-lhe:
- Estudou para a prova ?
Tília respondeu:
- Não, pois eu pretendo usar o método Chico Xavier, que é quando você fecha os olhos, coloca as mãos na cabeça. Daí um espirito inteligente abaixa em você e passa a cola das respostas.
Naquele instante, Cíntia, uma colega desta garota, fez o seguinte comentário:
- Cuidado:
- Pois, reza a lenda que antes de ser uma faculdade, este lugar já foi a casa de uma professora de Matemática chamada Abigail Margarida. Dizem que se, antes de uma prova de exatas, você falar na frente do espelho estas palavras:
- Abigail Margarida!
- Abigail Margarida!
- Abigail Margarida!
Ela aparece ao seu lado, na hora do teste, e lhe dá as respostas.
Desta maneira, Tília, em ar de deboche olhou para o espelho e gritou:
- Abigail Margarida!
- Abigail Margarida!
- Abigail Margarida!
Assim , a descrente deu risadas e entrou dentro da sala de aula.
Lá, a professora distribuiu o papel com as provas e exclamou:
- Podem começar!
De repente, Tília viu uma mulher ao seu lado que falou:
- Você me chamou e estou aqui para lhe ajudar nesta prova de exatas.
Deste jeito, a garota gritou:
- Quem é você ?
- Eu não chamei ninguém !
Desta maneira a mestra , que distribuiu as provas, chamou a atenção:
- O que está acontecendo Tília ?
Assim, esta garota olhou para a misteriosa senhora e notou pela transparência do seu corpo que trava-se de um fantasma. Mas, naquele mesmo instante, o espírito de Abigail Margarida entrou no corpo da estudante e preencheu as questões.
Na semana seguinte, Tília recebeu o resultado do teste e percebeu que tinha tirado a nota máxima. Depois desta experiência, esta moça nunca mais debochou de religião nenhuma.
Luciana do Rocio Mallon 





Nenhum comentário:

Postar um comentário